Perspectivas do Setor

Vídeo: cibersegurança em tempos de COVID-19

 | Salvar
Como a cibersegurança foi afetada pela pandemia do coronavírus e o que a Booking.com está fazendo para proteger seus negócios de ameaças on-line

O coronavírus impactou de diversas maneiras a forma como trabalhamos. Os negócios se reinventaram rapidamente para se adaptar a um mundo ainda mais digital. Da mesma forma, infelizmente, cibercriminosos tentam se aproveitar da nossa crescente dependência da tecnologia. Só em 2020, o custo médio de uma ocorrência de violação de dados na indústria da hospitalidade foi de US$ 1,72 milhão. O trabalho remoto aumentou a média desse custo para US$ 137.000, segundo a IBM.

Nesta entrevista feita por vídeo, Valentina Bonsi, Diretora de Cibersegurança na Booking.com, e Amon Versteeg, Diretor de Marketing de Parceiros e Fornecedores da Indústria na Booking.com, falam sobre as ameaças on-line em que você deve prestar atenção, o que fazer para diminuir o risco de ciberataques e no que a Booking.com está trabalhando para proteger sua propriedade. 

 

Para mais informações sobre cibersegurança, acesse nossa página de Soluções.

 

Qual sua opinião sobre essa página?

Aprendizado
  • As duas maiores ameaças à cibersegurança continuam sendo o phishing e a engenharia social. Por toda a indústria, não houve diminuição no número de ataques, e o nível de tentativas continua bem alto.
  • Para diminuir o risco de um ciberataque, os parceiros devem evitar imprimir dados de cartão de crédito, assim como usar a autenticação de dois fatores e criar contas individuais para seus funcionários
  • Para ajudar a manter sua conta segura, a Booking.com investe em monitoramento constante, regras rígidas de autenticação e monitoramento dos pagamentos 
  • Os parceiros podem reportar qualquer atividade suspeita pelo link report.booking.com