Tendências e Informações

O auge do "pequeno-almoço para levar" e como tirar partido dessa tendência para a sua propriedade

 | Guardar
A pandemia mudou para sempre o pequeno-almoço no hotel? Ou simplesmente forneceu mais opções para os viajantes?

Onde antes dominava o buffet de pequeno-almoço, agora reina o "para levar". Apesar de o conceito não ser novo para os hotéis, a opção de refeições take away aumentou durante a pandemia, pois muitas acomodações tiveram de fechar as suas cozinhas e encontrar soluções para preencher o vazio deixado pelas restrições impostas aos restaurantes. É uma lacuna difícil de preencher porque muitos viajantes passaram a confiar no pequeno-almoço, incluído na estadia ou adicionado posteriormente a um preço apelativo. 

Também a alimentar essa tendência está a procura do consumidor por opções de alimentos mais convenientes. Num questionário realizado antes da pandemia por Culinary Visions, 62% dos consumidores indicam que considerariam comprar refeições prontas para levar no mercado de um hotel. Desde o início da pandemia da COVID-19, esse sentimento só cresceu, estimulado principalmente pelas preocupações sanitárias. Para ajudar os parceiros a acompanharem nessas tendências, recentemente, Booking.com lançou a etiqueta "Pequeno-almoço para levar". Assim, pode indicar se oferece essa opção na sua propriedade.

A refeição mais importante da estadia?

Uma proporção significativa de viajantes vê o pequeno-almoço como mais do que apenas uma agradável regalia. Um questionário realizado pelo Hyatt Place descobriu que 63% dos viajantes frequentes escolheram o seu hotel por causa da sua oferta de pequeno-almoço . De acordo com os nossos questionários, também sabemos que 61% dos hóspedes preferem reservar o pequeno-almoço antes do check-in, o que mostra a importância dessa refeição para os viajantes, o quanto tomam atenção nas opções de pequeno-almoço e o quanto estão dispostos a incluí-lo como adicional.

Quando a COVID-19 se alastrou e a procura se tornou limitada, Ryan Goldberg, Key Account Manager de Booking.com, incentivou os parceiros com quem trabalhava a configurar tarifas que incluíssem pequeno-almoço. Desta forma, podiam diferenciar-se da concorrência. Ao mesmo tempo, muitos desses hotéis estavam a lidar com as regras de distanciamento social. Começaram a expressar o desejo de poder anunciar uma opção de pequeno-almoço sem contacto na plataforma. 

“Para algumas marcas, oferecer pequeno-almoço faz parte do padrão da marca, e fiquei inspirado a trabalhar para oferecer essa opção porque grande parte do meu portefólio oferece pequeno-almoço – e todos passaram a fazer a transição das refeições para pegar e levar devido à pandemia”, refere Goldberg. “Desde o lançamento do "Pequeno-almoço para levar", mais de 2 000 acomodações implementaram-no na primeira semana.” 

Como indicar que oferece "pequeno-almoço para levar"

“É fundamental que os clientes saibam que o pequeno-almoço como opção hoje em dia é diferente”, afirma Goldberg. Pode aproveitar a oportunidade escolhendo a etiqueta "Pequeno-almoço para levar" na secção Refeições no separador Comodidades e serviços na sua extranet.

Este detalhe será exibido para os clientes na página de sua propriedade e pode ajudar a influenciar os potenciais clientes assim que estes começarem a comparar as suas opções de pequeno-almoço. Além disso, Goldberg sugere a inclusão de uma fotografia com uma opção típica de comida para levar que oferece na sua propriedade. 

Imagem
Breakfast buffet
Are breakfast buffets a thing of the past?

 

O pequeno-almoço não precisa ser um buffet

Goldberg passa bastante tempo a avaliar a eficácia com que os hotéis divulgam as suas propriedades na nossa plataforma, mas o seu entusiasmo para oferecer opções de pequeno-almoço aplica-se igualmente aos parceiros que possuem outros tipos de acomodação. Recomenda que os gestores de propriedades comecem a comparar-se com os concorrentes locais nos resultados de pesquisa e, de seguida, determinem se podem oferecer um pequeno-almoço continental simples para que os clientes levem consigo enquanto exploram a região.

“Pode ser a única propriedade a fazê-lo na sua área”, refere. “Pode criar uma parceria com um café ou uma padaria local – você oferece o sumo e eles muffins, croissants e frutas.” Ele acha que pode acabar por ser bastante económico, especialmente lhe se oferecer uma vantagem estratégica nos resultados de pesquisa. 

O pequeno-almoço para levar do Hyatt Place

“Para hotéis como o Hyatt Place, o pequeno-almoço é um padrão da marca”, diz Michael Taylor, Diretor da Área de Revenue Management do Hyatt Place New York. Como na maioria das operações, no início da pandemia, tiveram de encontrar uma forma de oferecer alternativas ao seu famoso buffet de pequeno-almoço.

Começaram por oferecer uma peça de fruta fresca e sumo e, lentamente, expandiram à medida que adaptavam a sua cadeia de alimentos para incluir uma variedade de itens como barras de granola, iogurte, muffins e produtos de pastelaria. “Queríamos garantir que esses itens estivessem disponíveis regularmente, além de estabelecer o que poderíamos oferecer quando a procura aumentasse.”

Por fim, optaram por oferecer uma versão para levar, incentivando os hóspedes a escolherem itens nas cestas individuais e oferecer sacos de take away. Taylor destaca que os clientes referem a facilidade e a rapidez como o melhor desta iniciativa.

O futuro dos buffets de pequeno-almoço

Essa tendência de oferecer mais opções para levar continuará depois de o mundo voltar a hospedar-se em hotéis regularmente? Ainda é demasiado cedo para saber, mas o assunto promete ser importante. Muitos serviços relacionados com o setor dos alimentos e bebidas ainda estão suspensos ou a trabalhar em circunstâncias complicadas para atingir resultados muito menores, o que pode diminuir o custo-benefício para o negócio como um todo. Além disso, tanto os consumidores quanto os hoteleiros estão cada vez mais a inclinar-se para experiências sem contacto .

Taylor acredita que o futuro da automação em torno do pequeno-almoço ainda é incerto, com a maioria das implementações sem contacto atualmente focadas no check-in dos clientes. Mas, refere, “os hoteleiros podem aprender com os aeroportos e supermercados, que foram os pioneiros no uso de quiosques eletrónicos”. Quase todos ainda oferecem opções para os viajantes que preferem o contacto pessoal, enquanto atendem a maioria dos seus clientes através de quiosques. Pode ser que os buffets existentes antes da pandemia continuem a existir juntamente com opções para levar – nem que seja apenas para satisfazer as necessidades dos diferentes tipos de clientes.

 

Imagem
Food Instagram
Oferece pequeno-almoço para levar?

Satisfaça os entusiastas do pequeno-almoço que preferem levá-lo, indicando a sua oferta na extranet. 

Ir para a extranet

O que acha desta página?

Topics
Ponto-chave
  • Num questionário realizado pela Culinary Visions, 62% dos consumidores indicaram que considerariam comprar refeições frescas para levar num mercado no hotel.
  • A pandemia forçou os hotéis a converterem as suas muitas vezes extensas opções de buffet de pequeno-almoço em apelativas refeições para levar
  • Após a disponibilização da nova opção "Pequeno-almoço para levar"' na extranet, mais de 2 000 acomodações implementaram-na na primeira semana
  • Pode indicar na extranet se oferece "Pequeno-almoço para levar", que será exibido quando os clientes visitarem a página da sua propriedade